As novidades e tendências da advocacia

A advocacia é uma profissão de prestígio que sempre prezou pelo tradicionalismo no cenário brasileiro. Por esta razão, a categoria mantém várias restrições relacionadas ao marketing jurídico e sobre como os advogados devem se apresentar à sociedade.

Entretanto, os avanços tecnológicos e das redes sociais foram muito bem recepcionados pelos advogados e mesmo a entidade representativa (OAB) não se opõe à utilização destas novas tendências para promover a publicidade moderada no ramo da advocacia.

Com isso, o ambiente virtual e os aplicativos de celular passaram a ser importantes instrumentos de divulgação dos serviços advocatícios e de comunicação com os clientes, transformando, modernizando e facilitando a prestação dos serviços dos advogados.

Marketing digital x Marketing Jurídico

É perceptível como o marketing jurídico se inovou ao longo das décadas. Se antes a divulgação dos serviços advocatícios era mais discreta (através das indicações, cartões de visita, etc.), agora é possível visualizar propagandas de serviços jurídicos no Google, Youtube, Facebook, Instagram e demais sites onde há maior engajamento publicitário.


Embora várias áreas tenham se adaptado à modernidade dos meios de comunicação para divulgar seus trabalhos, o Direito se distingue em função do conservadorismo que sempre permeou a advocacia e que aos poucos vai se desprendendo dessas amarras.

Além disso, a internet proporcionou aos advogados uma proximidade maior com o público, uma vez que o ambiente online é naturalmente mais informal e imediato. Estas características tornaram a interação com as pessoas mais humanizada e solícita. Ocorre que a tecnologia por si só não seria suficiente para provocar esta sensibilização.

A principal razão é a acessibilidade do curso de Direito a todas as camadas da sociedade, formando profissionais que se identificam com os problemas sociais mais corriqueiros.

O que é o Direito 5.0?

Pensando nisso, a área jurídica adentrou o chamado Direito 5.0, entendido como uma harmonização das evoluções tecnológicas com o atendimento humanizado aos clientes.

Durante um período, a advocacia explorou as diversas possibilidades da tecnologia para aprimorar as técnicas jurídicas e a automação dos serviços para entregar o máximo em um curto espaço de tempo. Todavia, a ênfase em maximizar a eficiência e os lucros acabou deixando de escanteio valores fundamentais da advocacia, que é o tratamento com o próximo.

O advogado lida com seres humanos e nenhuma tecnologia é capaz de entender os problemas sociais e psicológicos enfrentados pelas pessoas. Logo, o Direito 5.0 visa resgatar a ótica humanitária dos advogados ao lidar com seus casos, ao mesmo tempo que usufrui das inovações tecnológicas e sociais (como as redes virtuais) para aperfeiçoar seu serviço.

Novidades para os advogados

Em relação às novas ferramentas de trabalho dos advogados, a primeira delas que merece destaque são as plataformas jurídicas, tratando-se de sites voltados para a área do Direito e que são acessados tanto por advogados quanto por possíveis clientes. Com estas plataformas, os profissionais da advocacia podem divulgar seus serviços, artigos, formação, experiência, redes sociais, etc. Por sua vez, os potenciais clientes podem se cadastrar nas plataformas para entrar em contato com o advogado que lhe interessou.

É fundamental escolher uma plataforma de confiança, pois o vazamento de dados pessoais e a orientação de falsos advogados são riscos a que todos estão expostos na internet.

Outra novidade muito útil foi a criação de ferramentas que auxiliam nas tarefas cotidianas (como contagem de prazos processuais, cálculos judiciais, organização financeira do escritório, relação de publicações e de audiências, consulta de jurisprudência, etc).

Ao invés de ter que se organizar manualmente com planilhas do Excel (ou às vezes até com os velhos papel e caneta), o advogado pode fazer uso de sistemas criados especificamente para operar estas atividades de gerenciamento de processos, finanças e decisões judiciais, reduzindo significativamente a carga de trabalho e evitando eventual perda de prazo.

Legal Design x Direito

Por fim, dentre as tendências da advocacia, o Legal Design é a mais propagada nos últimos tempos. O Legal Design foi criado com o objetivo de transmitir informações jurídicas a partir de um aspecto estrutural mais moderno, simplificado e agradável aos olhos.

Quem está familiarizado com a prática da advocacia sabe como as peças e documentos elaborados pelos advogados seguem padrões que, para uma pessoa leiga, pode tornar a leitura mais cansativa e difícil de compreender, pois a linguagem e o formato textual são tipicamente destinados a profissionais que atuam na área (como advogados, juízes, promotores, etc).

O Legal Design busca apresentar os textos jurídicos com maior sobriedade, valendo-se de uma estrutura de texto semelhante ao que é visto em manuais, instruções, catálogos e afins, estimulando o interesse pela leitura e compreensão daquilo que é abordado.

Em resumo, assim como as normas do Direito devem se adequar às transformações sociais, o mesmo vale para os advogados no que se refere aos métodos de trabalho e a forma com que se relacionam com seus clientes. Antes de mais nada, o advogado é um representante do povo na busca pelos seus direitos e, para tanto, deve acompanhar as mudanças da sociedade.


Fonte: Martins & Rodrigues